31 de out de 2008

Dia das Bruxas...




E por um acaso do destino, hoje também é meu aniver.
Sei que as bruxas são associadas a coisas ruins, mas acho elas tão simpáticas. Adoro bruxinhas! Passei a gostar ainda mais quando li muito sobre elas, e entendi que, na verdade elas gostam de cultivar os elementos da natureza, buscar o equilíbrio das coisas. Elas apreciam a chuva e o cheirinho da terra molhada, as ondas do mar vindo e voltando, a lua no céu, o sol que ilumina e aquece... Muitas pessoas colocam algumas ervas dentro de um pouco de água fervida e curam uma doença; jogam alguns ingredientes dentro de uma panela e os transformam em um saboroso alimento; plantam uma semente no quintal, ou em um vaso, cuidam até que cresça e se torne uma linda flor, ou árvore frutífera... Isso tudo pode ser considerado bruxaria. Por isso não fico triste por fazer aniversário no dia dedicado à elas, minhas amiguinhas.
Este ano tenho muitas coisas p/ agradecer, talvez mais ainda do que nos outros. Antes, devido a correria do dia a dia, não parava para apreciar coisas que me pareciam simples, coisas que faziam parte da minha rotina. Mas hoje, aprecio e valorizo coisas como: poder me alimentar sozinha, pentear meus cabelos, trocar de roupas, caminhar, fazer o que quero sem depender dos outros... só quem perdeu tudo isso, mesmo que por pouco tempo, é capaz de dar valor a coisas tão simples, coisas que fazemos sem nem mesmo pensar.
Neste dia agradeço à Deus por me permitir continuar vivendo, e a cada dia vencendo desafios e etapas da minha existência. Agradeço pela família que Deus me deu, pq sem eles eu não teria vencido esta grande luta. Obrigado Deus por ter me dado os melhores pais, as melhores irmãs, o melhor irmão, e como se não bastasse, ganhei os sobrinhos mais fofos do mundo. Obrigado por que tenho muitos amigos, que mesmo alguns estando distantes, continuam demonstrando seu carinho e seu amor por mim. Obrigado por ter colocado sempre os melhores profissionais no meu caminho, para me atenderem e me ajudarem na minha recuperação, sei que isso fez toda a diferença.
Hoje, mais do que nunca, consigo ver a mão de Deus em todas as coisas.

" Mais um ano percorrido ao longo da estrada da vida,
pedras e flores pelo caminho, espinhos aqui e acolá.
Mais um ano de aprendizado, de mudanças e constâncias
A cada passo dado uma novidade, a cada dia um ensinamento.
Por mais que pareçam iguais os dias do ano passado,
cada um foi exclusivo em si.
Venci mais uma etapa, sempre de cabeça erguida
sempre fiel a meus princípios.
Que muitos mais anos ainda se acrescentem em minha vida,
e que eu possa ser para todos um exemplo de perseverança."

29 de out de 2008

Aprendi...

"Aprendi que aconteça o que acontecer, pode até parecer ruim hoje, mas a vida continua e amanhã melhora.
Aprendi que dá para descobrir muita coisa a respeito de uma pessoa observando-se como ela lida com três coisas: dia de chuva, bagagem perdida, luzes de árvore de Natal emboladas.
Aprendi que, independentemente da relação que você tenha com seus pais, vai ter saudade deles quando se forem.
Aprendi que 'ganhar a vida' [making a living] não é o mesmo que 'ter uma vida' [making a life].
Aprendi que a vida às vezes nos oferece uma segunda oportunidade.
Aprendi que a gente não deve viver tentando agarrar tudo pela vida afora; tem que saber abrir mão de algumas coisas.
Aprendi que quando decido alguma coisa com o coração, em geral vem a ser a decisão correta.
Aprendi que mesmo quando tenho dores, não tenho que ser um saco.
Aprendi que todo dia a gente deve estender a mão e tocar alguém. As pessoas adoram um abraço apertado, ou mesmo um simples tapinha nas costas.
Aprendi que ainda tenho muito que aprender.
Aprendi que as pessoas esquecem o que você diz, esquecem o que você faz, mas não esquecem como você faz com que se sintam."

Por todas estas coisas que aprendi é que, mesmo adorando Internet, Blogs, MSN, Orkut... não dispenso o contato físico, olhos nos olhos, um aperto de mão, um abraço, um beijo, um carinho...

25 de out de 2008

Era uma vez...

um sonho... O sonho de manter acesa a chama vibrante, intensa e colorida da infância. A pureza, a ousadia e o espírito quase selvagem dos primeiros anos nos marcam de forma indelével por toda a existência... É como se esse período fosse comandado pelo ritmo de um relógio cujos ponteiros marcam só diversão e alegria... Um tempo cujo cheiro, gosto, cor e som continuamos perseguindo, de forma consciente ou incosciente, por toda a vida.

A importância do "NÃO"

Ontem li um texto que fazia uma análise do caso Eloah, onde um rapaz sabe-se lá porque, desgraçou sua vida, de duas meninas e de seus familiares e amigos. Resolvi então fazer uma reflecção sobre a importância do "NÃO".
O rapaz ouviu um "não" da namorada e surtou. Talvez ele não estivesse acostumado a ouvir esta palavra tão pequena, mas tão importante e necessária. Se outros "nãos" tivessem sido tidos antes daquele de Eloah, talvez nada disso tivesse acontecido. Se Eloah tivesse ouvido dos pais: Você "não" vai namorar aos 12 anos com um rapaz de 19. Talvez nada disso tivesse acontecido.
"Crianças e adolescentes que crescem sem ouvir bons, justos e firmes NÃOS, crescem sem saber que o mundo não é só deles. E aí, no primeiro não que a vida dá (e a vida dá muitos) surtam, usam drogas, compram armas, transam sem camisinha, batem em professores, furam o pneu do carro do chefe, chutam mendigos e prostitutas na rua, e daí por diante."
Quem ouve alguns "nãos" durante sua vida, aprende a dizê-los também quando necessário. Muitas vezes é importante dizermos "não" quando alguém quer tirar proveito de nós de alguma maneira, mesmo quando são aqueles que amamos. O "não", ensina, protege e prepara para a vida.
Mesmo sendo por vezes difícil, digo "não" as pessoas que cruzam minha vida, quando acho que é a hora de dizê-lo. Tento respeitar também os "nãos" que recebo. Uma negativa, muitas das vezes, traz consequências positivas no futuro. Creio que se dissermos mais "nãos" na hora certa, estaremos indo rumo a solução de muitos problemas que atingem nossas famílias, nossa vida social e nosso mundo.
"NÃO" à falta de amor, "NÃO" à falta de solidariedade, "NÃO" à violência, "NÃO" a falta de união, "NÃO" à falta de amor uns pelos outros.