9 de fev de 2010

Quase acreditei...

Quase acreditei que não era nada
Ao me tratarem como nada.

Quase acreditei que não seria capaz
quando não me chamavam , por acharem que eu não era capaz.
Quase acreditei que não sabia
quando não me perguntavam por acharem que eu não sabia.

Quase acreditei ser diferente
entre tantos iguais, entre tantos capazes e sabidos, entre
tantos que eram chamados e escolhidos.

Quase acreditei estar de fora
quando me deixavam de fora porque... que falta fazia?
E de quase acreditar adoeci;
busquei ajuda com doutores, mestres, magos e querubins.

Procurei a cura em toda parte e ela estava tão perto de mim.
Me ensinaram a olhar para dentro de mim mesmo e perceber
que sou exatamente, como os iguais que me faziam diferente.

E acreditei profundamente em mim.
E tenho como dívida com a vida fazer com que cada ser humano
se perceba, se ame, se admire de si mesmo, como verdadeira
fonte de riqueza.

Foi assim que cresci:
acreditando.

Sou exatamente do tamanho de todo ser humano.
E por acreditar perdi o medo de dizer, de falar, participar,
e até de cometer enganos.

E se errar?
Paciência, continuo vivendo por isso aprendendo.
E errar é humano.

4 comentários:

  1. Senti saudade das pessoas que de alguma forma tocaram meu coração, desde quando tinha o Diário de Iza
    E vim deixar um abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  2. Como e k esta beleza ainda n tem comentario??

    AMEI!! faz muito o meu tipo de poesia!!

    confira meu blog!

    parabens!

    ResponderExcluir
  3. É vivendo que aprendemos.

    Fim de semana de luz.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  4. M de Mulher!

    Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
    Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
    Madalenas ou Marias.

    Marinas ou Madonas.
    Elas são Manhãs e Madrugadas.
    Mártires e Massacradas.
    Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
    Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.
    E são Marinheiras e Magníficas.
    Mimam Mascotes.
    Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
    Marcam suas Mudanças.
    Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,
    Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
    Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
    Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
    Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
    Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
    São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.
    Merecem Mundos e não Migalhas.
    Merecem Medalhas.
    São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

    (texto tirado da net).

    FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

    beijooo.

    ResponderExcluir